No filme de “Karatê Kid” (1984), um estudante entusiasmado de artes marciais está desapontado quando sua primeira lição envolve a limpeza e a depuração do carro de seu mestre. Dia após dia, Daniel questiona o ponto de tarefas laboriosas, como lixar um chão de madeira, retocar uma cerca e pintar a casa do senhor Miyagi. Mas quando este finalmente começa a ensinar-lhe movimentos de karatê, Daniel fica impressionado ao descobrir que ele desenvolveu a memória muscular ideal para seu novo conhecimento de karatê.

Pastores e líderes que desejam discipular outros crentes podem aprender com o exemplo do senhor Miyagi, porque é o mesmo método de ensino que Jesus usou para treinar seus discípulos.

Jesus aproveitou as oportunidades diárias para estabelecer bases para aprender antes de contar aos discípulos o que Ele queria que eles conhecessem. Ele ensinou aos 12 a confiar na provisão de Deus, envolvendo-os na alimentação dos 5.000. Ele condenou o racismo e transmitiu uma visão para missões, apresentando-os à samaritana no poço de Jacó (João 4.5-43). Ele lhes ensinou o custo de servir enquanto lavava os pés. Ele usou a imagem de redes de pesca e campos de colheita para ensiná-los sobre o ministério.

Só depois de terem observado no trabalho e participado de Seu ministério, Jesus começou a explicar tudo para eles. Naquele ponto, eles eram solo fértil para tudo o que Ele queria que eles entendessem.

No mundo ocidental, ensinamos primeiro, e depois fazemos. Mas isso é o inverso do exemplo que Jesus estabeleceu para nós. Pela a ação do Espírito Santo, as reuniões de discipulado semanais, nas quais aprendemos e ensinamos concomitantemente, promovem transformação de vida.

As experiências, os testemunhos permitem que as pessoas se desenvolvam até o ponto de elas absorver o pensamento abstrato, os princípios espirituais. Para um discípulo entender completamente algo que está sendo ensinado, ele precisa de uma oportunidade para vê-lo ou experimentá-lo primeiro. Depois disso, pelo resto da vida, esse discípulo estará sintonizado com os princípios divinos.

Ao longo da vida, a crescente maturidade de um discípulo permitirá que ele pense sobre conceitos espirituais de forma mais abstrata e seja menos dependente de métodos concretos de aprendizagem. O conhecimento que ele/ela acumulou no passado desenvolve sua capacidade de processar informações no futuro.

Assim, semelhante ao filme, o discipulador exerce a função treinador, de personal trainer, e ajudará o seu discípulo a malhar nessa academia divina, a ganhar massa muscular e a desenvolver seus músculos espirituais, para a glória de Deus.