Desde que foi fundada por Robert Raikes na Inglaterra do século 18 (época dos grandes pregadores ingleses John Wesley e George Whitefield), a Escola Dominical tem levado milhares de pessoas ao conhecimento de Cristo, da Bíblia sagrada e dos valores espirituais e morais do Reino de Deus em todo mundo!


Razão 1: Comunhão entre irmãos

A Escola Dominical é um lugar de comunhão. Rever os irmãos em Cristo a cada manhã de domingo, e repartir uns com os outros o pão espiritual da Palavra de Deus é algo realmente renovador! Mesmo quando surgem divergências no decorrer da aula, quando opiniões diversas entram em confronto sobre um determinado tema, não se objetiva estabelecer rivalidades, antes expor o pensamento e elucidar questões difíceis.

Numa boa EBD a gente aprende a ouvir e a falar; a perguntar e a responder; sempre prezando pelo amor ao professor e aos demais alunos, visto que são todos irmãos em Cristo. Crianças, adolescentes e jovens que frequentam a EBD aprendem desde cedo a se socializarem e construírem amizades que levarão por toda a vida.

Razão 2: Família caminhando unida

Na Escola Dominical o ensino é oferecido de acordo com a faixa etária. Claro, isso depende muito da estrutura física e dos recursos materiais e humanos que a igreja local dispõe. Entretanto, geralmente as EBDs se dividem em pelo menos três classes: infantis, juvenis e adultos. Cada uma com uma lição específica, preparada adequadamente para as necessidades daquela faixa etária.

Não é maravilhoso que os pais possam ir com seus filhos à Escola Dominical, onde todos poderão estudar a Palavra de Deus numa linguagem e ambiente adequados? A EBD auxilia os pais cristãos na formação espiritual de seus filhos. A Escola Dominical que começou no século 18 com as crianças, hoje engloba todas as faixas etárias. Feliz é a família que caminha unida para a EBD!

Razão 3: Disciplina

A Escola Dominical nos ajuda a desenvolver disciplina na vida espiritual. Ela nos estimula a ter hábitos espirituais saudáveis: orar todo dia, ler a Bíblia todo dia, estudar a Bíblia com auxílio da revista da Escola Dominical e de outros materiais de apoio, como dicionários, comentários, enciclopédias, pesquisas na internet, etc.

O bom aluno, assim como o professor, prepara-se durante a semana para a aula do domingo, dedicando um tempo razoável do dia para estudar o tema proposto. Infelizmente, muitos não têm esse hábito, mas é o ideal, e é o que o professor deve estimular em seus alunos: administrar o tempo e as atividades do dia a dia, garantindo que sempre haverá um tempo específico para os devocionais diários e estudos da Palavra de Deus.

Razão 4: Discipulado contínuo

Há quem diga que não precisa frequentar mais a EBD devido ser um crente veterano, ou ter alguma graduação em teologia ou noutra área de conhecimento. Entretanto, quem pode dizer que já sabe de tudo? Quem será arrogante ao ponto de afirmar que já descobriu todos os mistérios de Deus ou que já domina completamente os assuntos da fé? Só paramos de aprender quando morremos! Enquanto há vida, há aprendizado.

Na EBD, não apenas novos convertidos são discipulados nas doutrinas rudimentares do Cristianismo, mas também os crentes veteranos são instruídos e moldados continuadamente na sã doutrina. Afinal, a EBD não aborda apenas assuntos incipientes da fé, mas temas teológicos e éticos contemporâneos, para os quais todos os crentes devem prestar atenção. Obreiros, lideranças e pregadores veteranos ainda têm muito o que aprender de Deus e de sua Palavra, pois, como dizemos, “o poço é fundo”!

Razão 5: Interação no aprendizado

Há muitos cultos de ensino na igreja, mas a Escola Dominical é o culto de instrução que propicia a interação entre o professor e os alunos, de modo que não seria possível num culto de doutrina à noite, por exemplo. Os alunos podem perguntar, comentar, responder, ler textos bíblicos, apresentar trabalhos em equipe, participar de dinâmicas de grupo e envolver-se na aula para construir o ensino junto com o professor. Numa boa EBD, o professor nunca fala sozinho do começo ao fim, mas envolve os alunos porque sabe que também tem muito a aprender com eles.

Razão 6: Crescimento intelectual e espiritual

A Escola Dominical é multidisciplinar: nela aprendemos de tudo um pouco, sempre a partir do estudo da Palavra de Deus. Aprendemos um pouco de Gramática, de História, de Geografia, de Hermenêutica, de Ética, de Filosofia, de Teologia… Desenvolvemos ainda o hábito de leitura, escrita e exposição oral. Por isso dizemos que a Escola Dominical é a roda dos esclarecedores! Até mesmo a timidez e a inibição para falar em público vão aos poucos dando lugar à coragem e intrepidez, tanto pela interação e conhecimento obtidos na EBD como, especialmente, pelo auxílio do nosso grande Professor, o Espírito Santo, que é capacitador.

É tão importante o preparo intelectual, teológico e doutrinário que a EBD oferece aos membros da igreja que alguns seminários teológicos em nosso país já consideram que dois ou três anos de Escola Dominical bem frequentada equivalem a um curso básico de teologia. Se puder comprovar que frequentou por este período a EBD, o aluno já entra direto no curso a nível médio.

Razão 7: Preparo para o serviço

Todo bom pregador, pastor, teólogo, escritor, missionário, compositor, cantor, músico, e líderes em geral, foram ou são alunos da Escola Dominical. A EBD, com ensino contínuo e temas diversificados, tem contribuído para formação de muitos obreiros valorosos para a obra de Deus. Afinal, quem cresce com os pés firmados na sã doutrina, cresce preparado para servir da melhor forma e para enfrentar as maiores intempéries da vida! Por trás de um bom líder, há sempre uma dezena de bons professores da Escola Dominical que forjaram o seu caráter cristão, moldando-o pelo ensino persistente das Escrituras Sagradas.

Conclusão

E você, já frequenta a Escola Dominical em sua igreja? Sabemos que nem todas as EBDs são perfeitas, e há muitas delas pelo país necessitando de sérios ajustes em termos de estrutura, organização e métodos de ensino. Todavia, você pode ser um mero observador, que fica ao longe vendo o que vai acontecer, ou pode escolher fazer parte da mudança, oferecendo sugestões, dando contribuições e até mesmo se oferecendo para ajudar na coordenação ou no ensino.

Quem sabe não há um superintendente da EBD adormecido dentro de você, ou um dinâmico professor precisando ser despertado? Você não leu este artigo até aqui por acaso… “Desperta o dom que há em ti” (2Tm 1.6)