O privilégio de resgatar um coração apascentador é uma tarefa dada aos filhos de Deus que se apresentam como um bom pastor (I Pedro 1.12). É um trabalho realizado sem qualquer interesse financeiro e motivações egoístas (I Pedro 5.2).

Apascentar é alimentar e nutrir. O pastor que tem zelo pelas ovelhas trata de conduzi-las ao caminho certo para a manutenção do seu alimento. Mas o pastor irresponsável leva suas ovelhas em direção ao matadouro. Lembrando que o alimento não pode ser algo pesado, ou seja, precisa ser algo leve e suave (I Coríntios 3.2) .

Apascentar é um mandamento. Quando Jesus perguntou a Pedro se ele o amava, logo depois Ele deixou claro que aqueles que verdadeiramente amam ao Senhor obedecem ao chamado do pastoreio (João 21.15-17; João 10.11).

Apascentar é tratar com amor. Moisés em dado momento perdeu a paciência com o povo hebreu e irou-se. Porque teve uma única atitude de desamor o Senhor falou que ele não entraria na Terra Prometida. As ovelhas de Deus não podem ser distratadas, independente das “mordidas” que elas dão (I Coríntios 3.1).

Apascentar é andar com o cajado. As ovelhas ainda são dependentes do cuidado do pastor, pois não enxergam tão bem. Para que elas não se percam pelo trajeto ou caiam em buracos ou valas, é preciso andar com o cajado a fim de mostrar a elas a direção correta (João 10.2-4).

Apascentar é ter revelação. O bom pastor acredita no potencial das suas ovelhas para o crescimento.  Se soubermos de suas dificuldades e conhecermos cada uma delas vamos ter paciência quando não corresponderem ao que almejamos para elas (João 10.14).