• ESTUDO DE CÉLULA IBNR
  • LOUVOR: LEVE TODOS A ADORAREM O SENHOR COM 2 LOUVORES.
  • Quebra Gelo: QUAIS AS OBRAS DA CARNE QUE SAUL ESTAVA PRESO?

Saul é o exemplo de alguém que tinha tudo para ser um sucesso, mas foi um fracasso. Ele tropeçou nas próprias pernas e foi vencido não por seus inimigos, mas por si mesmo.

AS OBRAS DA CARNE QUE SAUL DEU LUGAR?

1) Arrogância (1Sm 13.9). O sucesso obtido por Saul no caso dos amonitas parece que o fez perder a cabeça. A humildade foi suplantada pela presunção, e ele, então, decide usurpar a função privativa de Samuel, oferendo holocaustos (1Sm 13.9) Saul extrapolou seus limites. Ele usurpa temporariamente o sacerdócio de Samuel, uma vez que ele não tinha autoridade espiritual para oferecer sacrifícios. Ele é tomado de arrogância e desrespeita o ministério de Samuel. Arrogantes fazem isso, passam por cima dos outros e desejam ocupar espaços que Deus não lhes designou. Há pessoas que se impõem como a única alternativa. Cuidado com a arrogância! Ela é extremamente destrutiva. Deus não está atrelado a nenhum de nós. Não somos indispensáveis. De todos os vícios ou pecados, nenhum é tão prejudicial e danoso como o orgulho. C. S. Lewis dizia que o orgulho é o mais perfeito estado mental totalmente anti-Deus, um câncer espiritual que corrói a própria possibilidade do amor, do contentamento e até do bom senso. Como pecado, o orgulho é algo único. Ele procura destronar Deus e entronizar nosso ego. Não é por menos que Deus abomina a arrogância (Pv 16.18).

2) Desobediência à Palavra (1Sm 15.11). Deus, através de Samuel, orienta a Saul que ele destruísse os amalequitas e não deixasse nada sobreviver (1Sm 15). As instruções de Deus são claras e específicas. Naquela batalha, nada que pertencesse a Amaleque deveria ficar com vida. Saul, contudo, desobedece mais uma vez. Saul era um homem de muitas qualidades, como já foi dito, mas ele tinha um dos piores defeitos que alguém que queira andar com Deus pode ter: a desobediência. Existem muitas promessas nas Escrituras para a obediência, mas fiquemos apenas com uma: vitória plena (Js 1.8). Lembremos ainda das palavras do salmista: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.” (SI 119.11).

Saul cometeu o mesmo erro de Caim e que, igualmente, muitos cometem hodiernamente: ele achou que podia separar o culto a Deus da sua vida. Saul achou que Deus busca adoração e não adoradores. Que guardemos essa verdade no mais profundo da nossa alma: Deus não se agrada de rituais alheios à vida de quem os oferece. Ele não está atrás de culto sem vida. 

3) Inveja (1Sm 18.8). A partir do capítulo 18 de 1 Samuel, Saul torna-se um homem doente e profundamente desequilibrado, uma figura triste mesmo. Como é lamentável que um homem com tanto potencial termine assim. Ele então inicia uma guerra pessoal contra Davi, na tentativa de eliminá-lo. As vitórias de Davi incomodavam profundamente a Saul. Veja que coisa, o sucesso do outro doía nele. Que triste quando isso acontece! Por isso, Provérbios 14.30 diz: “A inveja é a podridão dos ossos. ” Porque dos “ossos”? Porque são eles que sustentam nossa estrutura. A inveja quebra nossa relação com os irmãos, pois não é possível amar aqueles a quem invejamos. O amor não coexiste com a inveja. Hernandes D. Lopes, em um dos seus comentários, diz que “a nossa relação com Deus nunca estará certa se a nossa relação com o próximo estiver quebrada”. A inveja é um pecado terrível; e uma das razões é que, em geral, as pessoas se consideram invejadas (dizem isso até com satisfação), mas nunca vi ninguém admitir ser invejoso. As mulheres começaram a cantar, dizendo: “Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus dez milhares.” (1Sm 18.7). Isso incomodou ao extremo a Saul. O rei de Israel fica incomodado por um refrão. Dessa forma, Saul é tomado de irritação, fruto da inveja, e disse: “Dez milhares deram elas a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão o reino?” (1Sm 1H H). A inveja o consumia. Ato contínuo, a Bíblia diz que um espírito maligno se apoderou dele. A inveja mora ao lado do diabo.

Melhor é o fim das coisas do que o começo delas. ” (Salomão)

SEU FINAL

1) Não reconhecia seus erros (1Sm 15.20) é preciso grandeza paia admitir seus próprios erros e Saul, infelizmente não possui essa virtude. Essa era mais uma falha no seu caráter, talvez a pior de todas. Em nenhum momento o vemos quebrantado e sinceramente arrependido, nem mesmo quando repreendido por Samuel. Quando Samuel o repreende, no episódio em que ele poupa o rei Agague e o melhor das ovelhas para o sacrifício, é dito claramente que Saul desobedeceu a ordem de Deus. (1Sm 15.15-23). Mas este, diante da reprimenda, retruca (no versículo 20): “Pelo contrário, dei ouvidos à voz do Senhor e segui o caminho pelo qual o Senhor me enviou”. Depois (no versículo 21), ele lança a culpa sobre o povo, tentando se esquivar. Parece que Saul era bom de argumentos, mas ruim de arrependimento; e isso é o que conta se quisermos a presença de Deus em nossa vida. Deus não tinha lugar para agir na vida de Saul. Ele não pode perdoar e restaurar gente inflexível e cheia de razão, que nunca se arrepende, nem muda de vida. Aceitamos isso? Somos capazes de avaliar nossos próprios métodos, motivações e objetivos? Temos nos olhados no “espelho” da Palavra e perguntado se estamos mesmo fazendo a obra de Deus como Ele nos mandou? Reconhecemos nossos erros? Ou achamos que Deus não os leva em conta? Assumir nossos erros e pecados é o único caminho para a transformação. Não há outro!

2) Abandonou sua fé (1Sm 211.7). Aqui, ele chega ao extremo De descida em descida, ele chega a um nível em que rompe com Deus e enche seu coração de ódio Deus não pode habitar em um coração rancoroso, raivoso e cheio de ira pelo próximo, como era o caso de Saul em relação a Davi, a quem julgava seu rival. Ele se embrenha num projeto de destruir Davi, inclusive colocando o exército nessa causa. Samuel havia morrido e Saul tinha expulsado de Israel todos os necromantes, ou seja, aqueles que consultam os mortos (1Sm 28.3). Ele mesmo, quando cheio de Deus, fora zeloso; mas depois veio a aprovar e praticar o que antes reprovara. Aquilo que um dia abandonamos, por sabermos que Deus não aprovava, nunca mais pode ser trazido de volta. Deixe lá, e, se possível, destrua as pontes que poderiam levá-lo de volta. O nome disso na teologia é apostasia, ou seja, a ação de renegar e afastar-se das verdades antes cridas e vividas.

3) Foi desqualificado (1Sm 15.28). A história de Saul não é um conto de fadas. Seu fim foi lamentável, porque jamais se dispôs a arrepender-se. Em vez de voltar-se para Deus, sempre fazia manobras para afastar-se cada vez mais Dele. Assim, morreu de modo trágico, sem autoridade e deixando pouca ou nenhuma saudade (1Sm 15.28; 1Co 10.13,14). Sua vida e legado nem de longe foram aquilo que Deus gostaria que fosse. No fim, sua vida não glorificou a Deus e, em última análise, essa é a única coisa que importa.

S. Lewis disse que no fim de tudo só há duas espécies de pessoas: as que dizem a Deus: “Seja feita a tua vontade”; e aquelas a quem Deus diz: “A tua vontade seja feita”. 

OFERTA: LEVE A TODOS A OFERTAREM AO SENHOR COM ALEGRIA, LOUVOR E GRATIDÃO.

CONVITE: ACEITE JESUS COMO SEU SENHOR E SALVADOR E DEIXE ELE ARRANCAR AS OBRAS DA CARNE DE SUA VIDA.

  • RECADOS PARA A CÉLULA:
  • MOTIVE TODOS A PARTICIPAREM DOS CULTOS DA IGREJA E O DISCIPULADO.
  • FALE A IMPORTANCIA DE NINGUEM FALTAR A PROXIMA CELULA.
  • DIVULGUE A TORRE DE ORAÇÃO E VIGILIA DIA 27/08.
  • DIVULGUE O PROJETO NEEMIAS 8 ANO RECONSTRUINDO O TEMPLO.
  • DIVULGUE O DIP 2019 DIA 25/08.
  • DIVULGUE AS ORAÇÕES DA IGREJA TODA TERÇA E QUINTA E SABADO DE MANHÃ.
  • DIVULGUE O CAFÉ DE ABRAAÕ DIA 31/08. 

ORAÇÃO FINAL: ORE POR TODOS DA SUA CÉLULA, CASA, RUA, CIDADE, ESTADO, BRASIL E PELOS SEUS PASTORES.


Download do Estudo: AQUI!